17 de mai de 2013

Saúde na terceira idade



Todos nascem, crescem, amadurecem e envelhecem, esse é o ciclo natural da vida. O tempo e a forma como se processam essas fases depende de cada um. O envelhecimento acontece no dia a dia e será cada vez mais intenso quanto maiores forem as interferências negativas em nosso organismo. 
E para falar sobre a saúde na terceira idade, foi realizada na última terça-feira, 14, no Centro Comunitário Maria Cândida, uma palestra com o tema: auto cuidado, cuidado e atenção com a pessoa idosa, envolvendo especialmente as pessoas da terceira idade e cuidadores de idosos.
A organização do evento ficou por conta da Pastoral da Saúde da Paróquia de Jaguaruna com parceria da Secretaria da Saúde do município. O intuito era de alertar tanto idosos quanto as pessoas que trabalham com os idosos sobre os cuidadosnecessários a partir de uma idade mais avançada. “Nós conversamos com a doutora Edmara Farias e então surgiu a ideia de fazermos uma tarde para falarmos sobre saúde, em especial sobre a saúde e os cuidados com o idoso”, destaca Maria Eni Vieira, uma das coordenadoras da Pastoral da Saúde no município.
Entre os diversos assuntos abordados durante a palestra, a doutora falou sobre os índices de queda na terceira idade. No Brasil, cerca de 30% dos idosos caem ao menos uma vez ao ano. Eles são mais suscetíveis a sofrerem com as lesões decorrentes de uma queda devido à alta prevalência de diferentes doenças nessa faixa etária,associada ao declínio funcional ao processo de envelhecimento, como aumento no tempo de reação, diminuição da coordenação motora e do equilíbrio corporal, o que faz de uma queda leve um evento potencialmente perigoso. “Uma queda, por mais simples que seja, pode trazer consequências graves em diversos aspectos à vida do idoso: saúde, financeiro, social e familiar. Na ocorrência de acidentes haverá antecipação das restrições e mudança drástica na qualidade de vida desse indivíduo, acarretando dependência parcial ou completa de terceiros”, destaca Edmara.
Outro assunto em pauta foi a automedicação. “Infelizmente muitos idosos tem por costuma quando sentir alguma dor, ingerir remédios que tem em casa ou pegar alguma indicação com o vizinho. É necessário que o idoso procure ajuda médica, a automedicação é um problema muito sério”, completa.
Para a agente de Saúde, Joelma Goulart, a palestra foi positiva. “Alguns assuntos aqui discutidos foram muito interessantes, a questão da diabetes onde não apenas o açúcar é prejudicial, mas também o consumo de em excesso decarboidratos no geral, como massas, batatas, amido, pois eles aumentam a taxa do triglicerídeos, então se a pessoa tiver diabetes e o triglicerídeos estiver alto, é bom que o paciente tenha um cuidado a mais com esses tipos de alimentos”.
Foi destacada também a necessidade de o idoso estar buscando se exercitar diariamente. Exercícios regulares, realizados periodicamente e bem orientados, ajudam a manter uma boa qualidade de vida, diminuindo a chance de problemas cardiovasculares e por outras patologias, além de manter a auto-estima e o bem-estar físico e mental, garantindo uma vida mais feliz e produtiva.
Com a participação efetiva de muitos idosos e com membros da equipe da saúde, novas palestras sobre o tema tendem a surgir. “Nós ficamos bastante satisfeitas com o resultado e acredito que estaremos realizando mais palestras dentre em breve”, concluiu Maria Eni.

Redação: Angela Barbara Pereira/ Folha Regional
Fotos: Vanderléia Pereira/ Pascom




0 comentários:

Postar um comentário