16 de jul de 2012

5ª Semana Social Brasileira é lembrada durante as celebrações




De iniciativa dos alunos do curso Fé e Política e em conjunto com a Cáritas, a paróquia de Jaguaruna, com objetivo de lembrar sobre a 5ª Semana Social Brasileira, celebrou missas na Matriz e Comunidades, ressaltando sobre o tema.
A 5ª Semana Social Brasileira tem como tema “Estado para que e para quem?” e o lema “Um novo Estado, caminho para uma nova sociedade do bem viver”.
Durante a homilia, na missa das 19h, padre Nilo Buss destacou a importância das pessoas viverem uma fé viva, testemunhada. “Nossa fé também precisa ser testemunhada em e por nossos compromissos políticos de cidadãos. Não podemos dissociar a fé da vida político-social, devemos participar da missa aqui dentro e partir para a missão lá fora”.
A 5ª Semana Social Brasileira foi lembrada através de um banner que foi levado durante a procissão de entrada nas missas da manhã e da noite.
Jalmor Ferreira, um dos alunos do curso, destaca a importância do tema. “Nós, alunos, estivemos visitando algumas escolas do município com objetivo de levar o tema para ser discutido em salas de aula. Foi uma experiência muito válida, haja vista que os jovens despertaram bastante interesse sobre o assunto”.
O curso Fé e Política acontece todas as quarta-feiras, na Paróquia de Humaitá, e tem a duração de dois anos. De Jaguaruna participam Jalmor Ferreira e a esposa Avani Bitencourt Ferreira, Sônia Mendonça e Zuleide Simão Cardoso.

Redação: Vanderléia Pereira
Fotos: Helena Piuco Rocha

Conheça sobre a 5ª Semana Social Brasileira:
O Estado e a sociedade que queremos – A sociedade transforma o Estado
“Bem Viver” - 5ª Semana Social Brasileira
(2012 – 2014 - semana de 3 anos)
Pastoral para o Serviço da Caridade, Justiça e Paz
Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB)

Estado - Conjunto de instituições que controlam e administram política e juridicamente um território- (governo, forças armadas, funcionalismo público, etc.).
No município: prefeito (secretarias/gestores e conselheiros), vereadores, fórum/promotor, delegacia de polícia, mais?;
Estado: governador, Deputados Estaduais;
Federal: presidente da República, Ministérios, Senadores, Deputados Federais, Forças Armadas

Novo Estado que queremos - nova organização, novo caminho, povo consciente de seus direitos e deveres; governantes responsáveis: que se organizem em beneficio da sociedade, do coletivo, do bem comum; que busquem um consenso da sociedade (democracia); que dê condições mínimas de vida digna para todos;que mantenham a disciplina das relações sociais; que respeitem e coloquem em prática o que determina a Constituição Federal/88;  que dêem o exemplo pessoal naquilo pregam; que cumpram o que prometeram para o povo para conseguirem se eleger; Que respeitem os conselheiros e suas deliberações.

Quem? – Igrejas, pastorais, organizações e movimentos sociais e de mulheres de todas as regiões do Brasil.
Tema: A participação da sociedade no processo de democratização do Estado – Estado para quê e para quem?
Espiritualidade cristã: relação de fé e política – os cristãos assumem, pela fé, o compromisso de construir um mundo de paz, justiça e solidariedade como sinal do Reino de Deus.
Bem viver: Ter qualidade de vida – Vida em plenitude (cf Jo 10,10);
Viver saudável, feliz e harmonioso consigo mesmo, com os outros humanos e com todos os seres vivos (terra, água, plantas e animais)
Para viver bem precisa, atendimento de saúde de qualidade, educação, trabalho, moradia, alimento, lazer...

Objetivos
Mobilizar, incentivar e facilitar a participação das pessoas para discutir o Estado e a sociedade que queremos; provocar a participação da sociedade nos processos políticos;
Ajudar a sociedade a ter elementos para pensar e construir um novo Estado a partir das reivindicações da própria base;
Colocarmos-nos ao lado dos mais pobres, excluídos, dos marginalizados para repensarmos uma nova sociedade, um novo Estado; que as pessoas não só recebam (assistencialismo), mas que façam parte do processo de um país de igualdade;
Resgatar temáticas antigas da SSB; dar-se conta das conquistas já alcançadas pelas organizações populares (Defensoria Pública em SC, Lei 9840 contra a corrupção, novas: Saúde + 10).
Debates propostos - sobre um processo que educa e motiva para a construção de mudanças que levam a uma nova sociedade
Democratização do sistema público: Reforma política, mudanças no sistema eleitoral, participação popular - art. 14 da Constituição (plebscito, referendo, projetos de lei de iniciativa popular);
Democratização da economia: Orçamento participativo e participação na riqueza do país, justa distribuição de renda,  reforma tributária progressiva, transparência e controle da prestação de contas públicas;
Democratização da gestão das políticas públicas: participação ativa da sociedade civil nos processos de formulação e no controle social da execução - Conferências e Conselhos;
Democratização da gestão da assistência e seguridade social como viabilização do acesso aos direitos sociais e participação da sociedade civil na gestão da solidariedade social;

História no Brasil (França mais de 100 anos)
1ª SSB
1991
O Mundo do Trabalho, Desafios e Perspectivas (celebração, no Brasil, dos cem anos da Rerum Novarum - encíclica escrita pelo Papa Leão XIII sobre a condição dos operários – posição social da Igreja)
2ª SSB
1992-1994
Brasil – Alternativas e Protagonistas (debates com os presidenciáveis, na véspera da campanha eleitoral daquele ano)
3ª SSB
1997-1999
Resgate das Dívidas Sociais no Brasil – Justiça e Solidariedade na construção de uma sociedade democrática
4ª SSB
2004-2006 
Mutirão por um Novo Brasil - "O papel do Estado", "As forças
sociais", "Soberania versus Império" e "A questão do trabalho"

Fonte: Cáritas paroquial



0 comentários:

Postar um comentário