21 de jun de 2012

Diocese orienta os fiéis quanto à prevenção da Gripe H1N1


Em função do surgimento de casos de pessoas contagiadas pelo vírus Influenza, causador da Gripe H1N1, também no território da Diocese de Tubarão e em consonância com solicitações advindas da Vigilância da Saúde de alguns municípios, achamos por bem repassar as seguintes orientações a serem seguidas nos espaços religiosos, a fim de resguardar a saúde de seus fiéis. As medidas são as mesmas aplicadas desde o dia 19 de junho pela Arquidiocese de Florianópolis e outras dioceses do Estado de Santa Catarina.

Orientações já assumidas em algumas Dioceses de Santa Catarina e repassadas também às paróquias da Diocese de Tubarão:
1º - aproveitar as reuniões, os encontros e outros contatos com paroquianos, a fim de conscientizá-los sobre as medidas preventivas indicadas pelas autoridades competentes para se evitar o contágio com a doença e, se for o caso, para se verificar o modo de tratá-la (cf. www.saude.gov.br);
2º - manter os ambientes da igreja (salões paroquiais e salas de reuniões) sempre bem arejados;
3º - desativar a pia de Água Benta na entrada das igrejas pelo menos neste período de maior disseminação da doença (Observação: A fim de valorizar o símbolo da Água Benta, privilegiar o gesto da “aspersão” no início ou fim das celebrações);
4º - evitar, por hora, apertos de mão dos Ministros da Acolhida, na entrada do povo para as celebrações;
5º - nas celebrações, evitar momentaneamente tanto o gesto de dar as mãos durante a oração do Pai Nosso, como a saudação da Paz;
6º - a sagrada Comunhão seja distribuída nas mãos dos comungantes;
7º - evitar por enquanto a distribuição da sagrada Comunhão sob as duas espécies (Pão e Vinho) uma vez que esta forma de comunhão deve ser administrada diretamente na boca dos fiéis, conforme a norma da igreja;
8º - Ministros da Comunhão que estiverem gripados ou resfriados não devem auxiliar na distribuição da Sagrada Comunhão, enquanto se encontrarem doentes;
9º - mais do que nunca, os Ministros devem observar a norma de lavar as mãos antes e depois da distribuição da sagrada Comunhão;
10º - colaborar com a difusão de cartazes, folders e folhetos orientativos sobre os cuidados essenciais com a saúde e de prevenção contra a nova gripe e expô-los de forma visível, em locais de circulação dos fiéis;
11° - recomendar aos paroquianos que estiverem gripados ou resfriados que evitem participar das reuniões promovidas pelas pastorais paroquiais, até que estejam curados da doença.

Tudo o que pudermos fazer, por hora, para colaborar na saúde de nossa população, façamos!

Pe. Sérgio Jeremias de Souza
Administrador da Diocese de Tubarão

Imagem ilustrativa: Secretaria de Saúde do Estado de SC (divulgação)

0 comentários:

Postar um comentário